Cheirar a Cabreira - 23 de novembro de 2013

Há amizades que se “granjeiam” com a modalidade e, desde há praticamente 4 anos, aquando do PUF Nº 10 que ficámos amigos de alguns Grupos e pessoas ligadas ao BTT, neste caso particular ao Grupo BTTPINOCO, na pessoa do seu “presidente” Domingos Gouveia.

Nos últimos tempos têm sido reciprocas as visitas, ora cá, ora lá.

Há uns meses, uma mensagem do Gouveia trazia um convite para pedalar não no quintal deles mas numa zona que também teria a ver com eles, ou seja, o vale do ave. Prontamente aceitámos e marcamos dia 16 de novembro.

Por força de motivos maiores, esse dia teria de ser ditado para um passeio de BTT e uma saída de Castelões – Póvoa de Lanhoso e viagem até Pitões das Júnias. Quando dissemos ao Domingos ele prontamente disse que era preferível alterar a data porque o passeio não seria o mesmo. Ficou então para a semana seguinte.

Depois de muitas confusões da nossa parte com agenda de espetáculos, tivemos de dizer ao Domingos que não iríamos, no entanto, na segunda-feira dessa semana um telefonema dava conta do adiamento de um espetáculo…volte-face! Vamos “Cheirar a Cabreira”!
Alvorada; 6 da matina! Viagem até Castelões, seguindo as coordenadas do ponto de encontro. Primeira coincidência do dia; a uns 500 metros do local, praticamente no último cruzamento chegam vários carros de estradas diferentes com bicicletas em cima! Nem combinado se conseguiria tal coisa!

Depois dos cumprimentos e apresentações da praxe porque estaríamos com novos colegas que não conhecíamos lá nos fizemos aos trilhos com o Tiago a comandar as operações.

Rapidamente nos testou num single construído recentemente, bem estreito e a subir por entre eucaliptos…quando acabámos de o fazer, acabara o frio.

O percurso escolhido para estre passeio foi criteriosamente analisado pelos cicerones. Muito single track e bom, belas paisagens e locais de rara beleza.

USsDJ0j5JRYlVFDLH4WQ8f0930I?feat=directlink

Passámos pelo santuário de N. Srª da Lapa onde ainda houve tempo para olhar para a beleza do local feito na rocha, orar um pouco e pedir uns desejos, tentando colocar uma pedra, arremessando-a para uma concavidade na rocha…penso que ninguém conseguiu e ao que parece, os pedidos eram todos para uma bike nova…!!!


A barragem do Ermal, a aldeia e ponte medieval de Agra também fizeram parte do percurso, já para não falar num trilho fantástico, pela margem do límpido Rio Ave até próximo da localidade de Rossas-Vieira do Minho.


 

O Tiago André está de parabéns pela forma como encara a modalidade e quer com ela levar gente aos seus trilhos. Rapaziada trabalhadora que “devastam mato” para passarem bicicletas…
Quando chegámos e depois do merecido banho, lá fomos ao almoço ao restaurante do Tiago ( Casa de Pasto O Luís) degustar o famoso bacalhau com batata a murro…a fome era bastante porque afinal foram 61kms e 2200m de desnível positivo a “Cheirar a Cabreira”.
Aos amigos que connosco pedalaram neste dia um grande abraço e um bem-haja a todos pela camaradagem de um dia fantástico.
Aos BTTPINOCO, um grande abraço e um até breve pelas” Rotas do Ouro”.

 

 

 

 

* Aconselha-se o visionamento do vídeo em HD

 

Rescaldo by BTTPINOCO aqui

-- Álbum Completo --